Vision BR - Soluções de TI Gerando Facilidade Entre em contato - (16) 3877-4405

Entre em contato - (16) 3911-9425
PORTAL DE NEGÓCIOS
e-Mail
Senha
Cadastre-se aqui.

Para visualizar está página é necessário a nova versão do Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Polícia ainda não multa no Sem Parar dos pedágios

A Polícia Rodoviária Estadual ainda não aplicou nenhuma multa nos motoristas que passam acima de 40km/h nas cabines do Sem Parar nos pedágios das rodovias paulistas, apesar das placas e avisos que existem nos bloqueios.

A notícia de que desde o dia 1 de setembro ultrapassar o limite de velocidade (40km/h) nas cabines do Sem Parar gerava uma infração se alastrou como pólvora na internet, principalmente nas redes sociais.

Rádios repercutiram o assunto e pelo menos uma emissora de televisão chegou a noticiar a informação como verdadeira nas últimas semanas, o que deixou os motoristas apreensivos. A reportagem flagrou vários veículos reduzindo drasticamente a velocidade ao se aproximar do Sem Parar, fato incomum até meses atrás. As placas de aviso do limite de velocidade eram consideradas pela maioria dos motoristas apenas um alerta para evitar acidentes (há também  indicações para manter a distância de 30 metros entre os veículos).
 
SÓ INFORMAÇÃO/ Mas como  em algumas cancelas há um display que informa a velocidade (mas não fotografa quem está acima dela) e, em todas, um leitor, semelhante a um radar estático, que identifica o TAG (etiqueta eletrônica que registra o usuário do serviço) e libera o veículo, os motoristas passaram a acreditar na versão deflagrada na internet.

Em nota, o comando do policiamento diz que "é possível que seja realizada a fiscalização  para o local", já que há um descumprimento do Código de Trânsito. Mas, prossegue a nota, "até o presente momento, desconhecemos o procedimento de lavratura de autuações realizadas nas praças de pedágios por excesso de velocidade nas faixas de cobrança sem a parada do veículo".

A Artesp (Agência Reguladora de Transporte de São Paulo) também nega as autuações e, em nota, afirma que "não há nenhuma operação especial com aplicação de multa por excesso de velocidade nas cancelas" do sistema de cobrança eletrônica de pedágio.

A empresa STP, que opera os meios eletrônicos de pagamento Sem Parar, esclareceu  que a emissão de multas não é uma atribuição sua e sim uma exclusividade da Polícia Rodoviária. A cobrança eletrônica existe hoje  em 146 praças de pedágio no estado  e tem 394 pistas automáticas de cobrança. Ao todo, mais de 2,9 milhões de carros usam o dispositivo atualmente.

Empresa vai ganhar concorrente em 90 dias
Até dezembro, a empresa DBTrans deve  iniciar operação no sistema de cobrança eletrônica de pedágio nas rodovias sob concessão em todo o Estado de São Paulo. Há 12 anos a STP, do grupo CCR, maior concessionária de rodovias em São Paulo,  tinha exclusividade de explorar o serviço.

R$ 6,90
É o valor previsto da mensalidade da nova empresa. O Sem Parar cobra R$ 11,90 de cada veículo.

Condutor poderá optar por sistema isento
A DBTrans, que já é concorrente do Sem Parar no Rio de Janeiro  e no Rio Grande do Sul, também vai lançar o modelo pré-pago de pagamento eletrônico, onde o motorista carrega seu TAG com um  valor determinado e passa pelas praças de pedágio normalmente, ficando livre da cobrança de mensalidade.

Vale pedágio para os caminhoneiros
Segundo a Artesp, para os caminhoneiros, a nova operadora vai introduzir no mercado paulista o vale pedágio no formato eletrônico, com cobrança através de TAG, visto que atualmente há apenas o vale pedágio no formato de papel e por cartão. A DBTrans atua também na cobrança de tarifas de estacionamento de shoppings
Home | Serviços | Produtos | Soluções | Clientes | Parceiros | Contato
Alameda Domingos F. Villas Boas, 858 - Parque dos Lagos - CEP: 14094-164 - 16 3877-4405 | 16 3911-9425 - Ribeirão Preto - SP 
VisionBR © 2011. Todos os direitos reservados.

Alameda Domingos F. Villas Boas, 858 - Parque dos Lagos - CEP: 14094-164 - 16 3877-4405 | 16 3911-9425 - Ribeirão Preto - SP
VisionBR © 2014. Todos os direitos reservados.